Sebanella

Sebanella em Ação: em busca de melhores condições de vida e um ambiente sustentável

SEBANELLA EM AÇÃO: EM BUSCA DE MELHORES CONDIÇÕES DE VIDA E UM AMBIENTE SUSTENTÁVEL

Um livro pode impactar vidas e transformar uma empresa. Foi isso que aconteceu com o nosso Diretor Sebastian Pereira. O livro em questão foi “O fim da pobreza” (2015), onde o autor Jeffrey D. Sachs, economista, diretor do Instituto da Terra da Universidade de Columbia e assessor especial do secretário-geral da Organização das Nações Unidas para os Objetivos do Milênio, retrata de forma clara e explicativa a realidade desumana de muitos países. Mais do que isso, ele demonstra o desenvolvimento econômico por meio da metáfora de uma escada. Em torno de um bilhão de pessoas no mundo, os miseráveis, não consegue alcançar um pé no primeiro degrau da escada. Os pobres, cerca de 1,5 bilhão de pessoas, são os que vivem no ápice do mundo da baixa renda, e estão nos degraus acima. O topo da escada é alcançado por mais um bilhão de pessoas, aquelas com alta renda. 

 

No Brasil, em 2019, 170 mil brasileiros entraram para a pobreza extrema, segundo reportagem do UOL (https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/05/18/mais-170-mil-brasileiros-entraram-para-a-pobreza-extrema-em-2019.htm?cmpid=copiaecola&cmpid). Isso vem de encontro com um ponto marcante do livro de  Jeffrey D. Sachs, onde ele cita que as pessoas que estão na extrema pobreza acordam e não sabem se vão ter o que comer. Diante de todas essas reflexões, nós, da Sebanella, decidimos fazer a nossa parte em busca de um mundo mais justo e menos desigual. Afinal, a atitude de cada um em relação à responsabilidade social é fundamental para que a mudança aconteça.

 

A partir deste mês, estamos implantando o projeto social “Sebanella em Ação”, no qual 2 % do valor da taxa de recebimento do metro cúbico de resíduo de gesso será convertido em alimentos não perecíveis, que serão doados para a Fundação Pão dos Pobres, de Porto Alegre. A Fundação funciona desde 1985, atendendo 1,4 mil crianças e adolescentes, a maioria deles em situação de vulnerabilidade social, pobreza ou violação de direitos.

 

Mais do que alcançar resultados profissionais, queremos gerar impacto na vida das pessoas, trazendo melhores condições de vida, um sorriso no rosto e um afago no coração.





TOP